segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Fuga

Dizer-te que o mundo é mais cinzento que belo e obrigar-te a ouvir as palavras sábias de um qualquer idoso sentado no banco do jardim, por onde te passeias... Pegar a tua mão e segredar-te ao ouvido que não é estúpido o que se escreve em cartas, mas que pode ser cruel não as saber interpretar... Fitar os teus olhos e fixar um horizonte de promessas e futuros falhados... Contar-te os meus planos, a minha vida, as minhas lágrimas... Expor o coração ao mais ínfimo pormenor e ainda assim voltar para casa com ele dentro do peito... Fazer as malas, retocar a maquilhagem, vestir uma roupa bonita, sentir confiança e ainda assim sair para a rua e fugir de mãos vazias!


Texto para a Fábrica de Letras (Agosto)

5 comentários:

ρ ι disse...

obrigada pelos comentários :D

gostei bastante deste texto e do teu blog, vou seguir!

beijinho.

Catarina disse...

O texto está muito bonito. (: Gostei tanto da frase "Expor o coração ao mais ínfimo pormenor e ainda assim voltar para casa com ele dentro do peito...". Está digna de um génio. ;)

PauloSilva disse...

Fico muito agradecido pelo comentário ao meu post. Muito mesmo. Enorme beijinho *

Mz disse...

Gosto de textos assim... curtinhos e onde cabem mensagens de vida muito importantes.
Gostei muito.

Briseis disse...

Que linda participação! Julgo que é a primeira vez que te vejo pela Fábrica, e é a primeira vez que visito o teu blog... Gostei! Vou ficar de olho... =)